Browse By

Gigantes tecnológicas querem ajudar o Nepal

PartilharShare on Facebook6Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Share on Tumblr0

A pesquisa pelos termos "Nepal" e "ajuda"pode ser vista neste mapa do Google Trends.

 

Facebook, Google, Twitter, Apple e Viber são algumas das empresas tecnológicas que prometeram auxiliar as pessoas afectadas pelo sismo no Nepal.

Os últimos números referentes à calamidade nepalesa são avassaladores, apontando para a casa dos 3 milhares de vítimas e inúmeras pessoas ainda por encontrar nas áreas de mais remotas do país. Nas redes sociais muitos são os que tentam descobrir o paradeiro (e estado) de amigos ou familiares.

Foram estas as circunstâncias que levaram a que algumas das gigantes tecnológicas mundais prometessem o seu auxilio, das mais diversas formas, a todos os que foram afectados pelo sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter.

Monges recolhem o que podem dos destroços num mosteiro em Katmandu.

Monges recolhem o que podem dos destroços num mosteiro em Katmandu.

Mark Zuckerberg anunciou no seu perfil no Facebook o Safety Check, página que funciona para confirmar se uma pessoa afectada pelo sismo está em segurança. Às pessoas que tenham um perfil na rede social e que identifiquem a sua localização como sendo numa localidade no Nepal está a ser enviada uma notificação onde é perguntado se estão em segurança. Através do Safety Check, os restantes utilizadores são questionados sobre se estão numa área afectada pelo sismo e se querem informar os amigos no Facebook de que se encontram bem. Os amigos que souberem que um dos seus contactos na rede social se encontra em segurança também poderão assinalá-lo, acelerando o processo.

 Vista do epicentro do sismo no Google Maps a 27 de abril

 

A Google reactivou, por sua vez, a página Person Finder, lançada em 2010 após o sismo no Haiti e que já reutilizou em situações idênticas na Índia e na Turquia. A página funciona como uma base de dados sobre pessoas dadas como desaparecidas após o sismo no Nepal, e que afectou ainda países vizinhos como a Índia, através da qual qualquer pessoa pode tentar saber onde se encontra um amigo ou familiar afectado pelo abalo.

A própria Google perdeu um dos seus empregados, o executivo norte-americano Dan Fredinburg, numa escalada no Monte Everest. Fredinburg era um dos responsáveis pelo Google X, a divisão onde a empresa de pesquisas desenvolve os produtos “futuristas”. À última contagem, a Google tinha já 5400 registos na sua página.

help-nepal

Quanto ao Twitter foram criadas as hashtags #kathmandu, #nepal e #earthquake para todos os que quiserem mais informações sobre o sismo e/ou partilhar dados sobre os eventos no Nepal e o Viber, aplicação de mensagens, desbloqueou os serviços pagos naquela zona para que as pessoas pudessem enviar mensagem ou fazer telefonemas para encontrar amigos e familiares.

http://tek.sapo.pt/; http://ptjornal.com/; http://www.publico.pt/ ;http://googleasiapacific.blogspot.sg/

PartilharShare on Facebook6Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Share on Tumblr0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *