Browse By

Digital Nomads Portugal – O mundo é o meu escritório

PartilharShare on Facebook133Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn19Share on Tumblr1

digital nomads portugalPortugal conta já com um número considerável de nómadas digitais que optaram por um estilo de vida  “sem assento fixo” no mesmo escritório, no mesmo horário, todo o ano. A Digital Nomads Portugal é a primeira comunidade organizada no nosso país.

O mundo é o seu escritório. Viajam e trabalham de qualquer lado do mundo, sem rigidez de horário de entrada ou saída. A Digital Nomads Portugal é a primeira associação de nómadas digitais em Portugal.

Sérgio Fernandes e Cláudio Domingos, ambos freelancers e nómadas digitais aperceberam-se, em meados de 2015, que havia em Portugal um número considerável de pessoas que fugiram a esta rotina do escritório fixo, mas que ainda não havia nenhuma comunidade organizada para nómadas digitais em Portugal.

Foi esta lacuna que os levou a criar a Digital Nomads Portugal, a primeira organização portuguesa dedicada a nómadas que disseram não à prisão do escritório entre as “9 às 17” e que trabalham por sua conta.

Este ano, prevêm lançar o site da DNP e organizar alguns eventos e viagens, incluindo a participação no DNX Camp do Brasil, que irá acontecer em Novembro.

Buzzstop – Para ti, o que é ser Digital Nomad?

Sérgio Fernandes – Ser nómada digital é poder ter a liberdade de trabalhar em qualquer lado, fazer o meu próprio horário e definir os meus objectivos. Enquanto isso, ter a possibilidade de viajar, conhecer pessoas e lugares, trocar experiências… basicamente aliar um estilo de vida com qualidade ao trabalho.

B – Como surgiu a ideia do Digital Nomads Portugal? que dificuldades encontraste pelo caminho?

SF – A ideia surgiu quando comecei a trabalhar remotamente como freelancer e, em conversa com o Cláudio Domingos (co-fundador do Digital Nomad Portugal), que também trabalha remotamente, constatámos que existia uma grande comunidade de indivíduos em Portugal que desenvolveram negócios que podem gerir a partir de qualquer lugar do mundo, e que optaram por se estabelecer em Portugal, devido ao bom clima, localização e baixo custo de vida.

Fomos descobrindo também, através de amigos e nas redes sociais, que embora existissem por cá imensas pessoas à procura de uma melhor qualidade de vida, de ter mais liberdade no trabalho, a quererem trabalhar fora de um escritório convencional, não havia comunidades organizadas que lhes fornecessem o acesso às informações que eles estavam à procura. Como fazer? será que é possível? será que posso fazer isso em Portugal? Foi aí que surgiu a ideia de criarmos a primeira comunidade de nómadas digitais em Portugal.

Um dos obstáculos encontrados tem a ver com a mentalidade das empresas nacionais (não estou a generalizar) que ainda acreditam que quem trabalha a partir de um espaço de coworking ou através de casa, não trabalha. Penso que em Portugal, felizmente, esta mentalidade está a começar a mudar, e que estamos a dar pequenos passos para nos tornarmos mais abertos e liberais, largando aquela ideia de que o trabalho é das “das 9 às 17” . Temos na comunidade, cada vez mais empreendedores bem sucedidos que basicamente não querem ter um escritório fisico ou ter de usar fato e gravata, querem sim, ter liberdade para viver e trabalhar fora dos standards tradicionais que são usados actualmente. Fico feliz ao ver que as mentalidades estão a mudar e que, cada vez mais, podemos ser mais produtivos, trabalhando a partir de onde quisermos.

digital nomads portugal

Sérgio Fernandes e Cláudio Domingos, fundadores do Digital Nomads Portugal

B – Qual o sítio mais paradísiaco onde já trabalhaste?

SF – Neste momento o projecto Digital Nomads Portugal tem cerca de 8 meses de estar “online” (a ideia surgiu há mais de um ano) logo temos estado a fazer todos os esforços a nivel de divulgação, parcerias e desenvolvimento digital da plataforma baseados em Portugal (e ainda com os nossos empregos de freelancer). Logo não temos tido muito tempo para viajar e limitamo-nos a trabalhar em casa ou em espaços de coworking. O ano de 2016 tem como objectivo sedimentar a comunidade e poder percorrer vários sitios a viajar e trabalhar, como é o caso de Bali (um dos sitios preferidos para os nómadas digitais), Tailândia, Brasil e Ilhas Baleares. Outro dos objectivos será a participação num DNX Camp no Brasil, que irá acontecer em Novembro.

B – Entre viajar e trabalhar, como organizas o teu tempo, ainda para mais com o projeto Digital Nomads Portugal?

SF – Tento sempre ser o mais produtivo possivel mesmo quando estou em viagem. Uso várias app’s que me permitem organizar o meu dia-a-dia, um exemplo disso é a Todoist que me permite criar prioridades diárias de acordo com os projectos e clientes que tenho. Tento usar a manha para tratar das tarefas mais importantes, seguidamente respondo aos emails que tenho em carteira e que são prioritários para esses dia. Durante a tarde, quando estou em viagem, aproveito para passear, quando estou em casa aproveito para fazer um treino ou uma corrida junto à praia. No fim do dia, trato das tarefas menos urgentes e delimito as prioridades para o próximo dia.

B – O conceito de “ter uma casa” ainda te diz alguma coisa?

SF – É sempre bom ter um sitio a que chamas casa! Mas, neste momento, a ideia é voltar a viajar mais, poder trabalhar e viajar.

B – Como financiam os vossos projetos pessoais? É fácil encontrar financiamento para o Digital Nomads Portugal cá dentro?

SF – Neste momento os projectos pessoais que temos a decorrer não têm qualquer tipo de financiamento, porque em Portugal (tal como referi anteriormente) é extremamente complicado encontrar financiamento (por parte do estado) para o que quer quer seja. A nossa ideia é sempre começar os projetos com o mínimo de custos associados e fazer crescê-los para mais tarde podermos procurar por um investidor/parceiro de negócio.

SEGUINTE
PartilharShare on Facebook133Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn19Share on Tumblr1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *